Serviço de Protecção Cívil e Bombeiros reflorestam mais de 10.000 mangues para saudar o dia mundial dos Bombeiros

Serviço de Protecção Cívil e Bombeiros reflorestam mais de 10.000 mangues para saudar o dia mundial dos Bombeiros

0 1

Hoje, 04 de Maio assinala-se o Dia Mundial dos Bombeiros, e para saudar este dia, o Serviço de Protecção Civil e Bombeiros afecto ao Ministério do Interior, reflorestaram mais de 10.000 mangues com o apoio técnico da Otchiva, a associação que se dedica na defesa das zonas humidas, com realce dos mangais na orla costeira em Angola.

Serviço de protecção civil e Bombeiros, a serem informados sobre os mangais pela otchiva

Voluntários da protecção civil e Bombeiros na recolha das sementes de mangues

De acordo com o intendente bombeiros Filipe Calunga Morais, Director da Educação Patriótica, a reflorestação nos mangais foi e será feita no âmbito da mitigação de desastre nomeadamente calemas, inundações, erosão, protecção da orla costeira e do Ambiente, com a missão de proteger as comunidades que vivem próximos destes ecossitemas.

Voluntários bombeiros na contagem das sementes de mangues

Voluntários da protecção civil e Bombeiros a plantar mangais

Voluntários da protecção civil e Bombeiros a plantar mangais

A reflorestação que visou também contribuir para ao programa de plantação de 1 milhão de mangais até Dezembro de 2021, um desafio lançado pelo Vice Presidente da República, Dr. Bonito de Sousa, foi feita dentro do distrito urbano do Mussulo, localizado no Munícipio do Talatona, e teve a participação de mais 100 voluntários dos serviço e Bombeiros, com a ajuda da comunidade local, que aproveitou a ocasião para apelar à estas forças da Protecção civil e bombeiros para que estes sejam uns agentes multiplicadores da mensagem sobre a importância dos mangais para estas comunidades, quer seja para a protecção das inundações resultantes do surgimento de calemas, bem como para a protecção da sua única fonte de renda na exploração de peixes, crustaceos, moluscos e outros recursos.

Otchiva a orientar a plantação nos mangais

Vale realçar que milhares de pessoas em 128 países e territórios dependem diretamente dos mangais para obter produtos como madeira, peixes, caranguejos, camarões, moluscos e medicamentos, que são essenciais para a sua subsistência, segurança alimentar e nutrição.

A IMPORTÂNCIA DOS MANGAIS NA MITIGAÇÃO DE RISCOS E DESASTRES

Mangais, nossa primeira defesa

O mangal é um ecossistema, que recebe esse nome por sua árvore típica, o Mangue. Sua vegetação é adaptada ao ambiente salobro, típico de zonas costeiras onde há desembocadura de rios, e a água doce se mistura com a água do mar. Muitos estudos recentes tem destacado esse ecossistema como essencial para a regulação do clima, por sua grande capacidade capturar e armazenar carbono da atmosfera.

No caso das inundações, o mangal funciona como uma barreira natural à inundação promovida pelos fortes ventos durante a tempestade. Além disso, o mangal também amortece as ondas geradas durante esses eventos, protegendo pessoas e estruturas costeiras.

Fonte: Otchiva

Mangais em Angola

Para além dos riscos de inundação, os mangais também são um grande aliado a um problema crescente em cidades litorâneas: a erosão costeira. O mangal é excelente para acumular sedimento e formar pedaços de “terra”. Na média, o terreno ao redor dos manguais crescem verticalmente de 1 a 10 milimetros por ano.

O que podemos aprender com isso?

Os mangais devem ser vistos como infraestrutura nacional, para que sua conservação possa ganhar investimentos não só de órgãos ambientais, mas também de órgãos e instituições associados à mitigação de desastres naturais, como a Defesa Civil, por exemplo. É mais efetivo preservar e restaurar as áreas de mangal, que gastar dinheiro com barreiras artificiais.

Fonte: Otchiva

Mangais em Angola

Por exemplo, os furacões e as tempestades tropicais custam à economia dos EUA cerca de 50 bilhões de dólares (USD) com danos por vento e inundações. Um recente estudo, publicado na Scientif Reports mapeou o risco de inundação em 700 km de costa, em mais de 59 países ao redor do mundo. Os resultados evidenciam o importante papel do manguezal na proteção das zonas costeiras e prevenção à perdas econômicas e humanas. Este trabalho combinou simulações numéricas das inundações com outras ferramentas que são padrão em análises de riscos de seguradoras e industrias de engenharia. A maior parte dos levantamentos de riscos existentes para ciclones tropicais são feitos para países desenvolvidos, onde há recursos para tal. Isso exclui grande parte dos países tropicais, onde se concentra a maior parte da populações vulnerável do mundo e os efeitos de um desastre natural pode ser ainda mais devastador.

Fonte: Otchiva

Mangais em Angola

Preservar e restaurar esses ecossistemas costeiros pode ser uma estratégia extremamente efetiva do ponto de vista econômico para proteger a costa de inundações e ondas causadas por tempestades.

Os gastos com inundações excedem USD 730 bilhões anualmente com impactos diretos à bens e propriedades. Esse valor chega a ser 3 vezes maior quando impactos em atividades de subsistência e outras atividades econômicas são considerados. Nesse sentido, o mangal reduz o risco de inundação, protegendo mais de 15 milhões de pessoas e prevenindo a perda de USD 65 bilhões todos os anos.

Países como USA, China e Taiwan, por exemplo, recebem o maior benefício econômico, através de proteção de propriedades, enquanto Vietnã, Índia e Bangladesh recebem o maior benefício social, com a proteção de pessoas.


Partilhar:

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Precisas de ajuda?
Enviar via WhatsApp