Monitorização dos Mangais do Compão, Lobito, Benguela

Home / Monitorização dos Mangais do Compão, Lobito, Benguela
Monitorização dos Mangais do Compão, Lobito, Benguela

Monitorização dos Mangais do Compão, Lobito, Benguela

REALIZADA MONITORIZAÇÃO NOS MANGAIS DO MORRO DOS VEADOS E RAMIROS

Data: 1 DE JUNHO DE 2020

O Projecto Otchiva prima sempre pela monitorização de todas as zonas húmidas, como estuários, lagunas, mangais, etc, com o objectivo de averiguar a existência de lixo entre as raizes das árvores dos mangues e redes de pescas colocadas por pescadores locais, entulhos, e muitas outras inconformidades que colocam em risco estes ecossistema de mangais berço da vida marinha, habitat de inúmeras aves migratórias e fonte de renda para as comunidades de pescadores que exploram nos mangais peixe, crustáceos, moluscos e outros frutos do mar. É neste sentido que os voluntários do Otchiva realizaram monitorização nos manguais reflorestados na província de Luanda, nas comunidades do Morro dos Veados e Ramiros.

 

Nos mangais do Distrito do Morro dos Veados, os voluntários constataram que todas as sementes de mangues reflorestadas desde o princípio do ano de 2020, brotaram, estas que cobriram uma área total de 16 héctares. Vale realçar que neste local específico, os mangues plantados foram com o objectivo de preencher as zonas devastadas de mangues, que resultavam na existência de buracos enormes vazio isto porque, no passado estas zonas de mangais haviam sido devastadas pela população local do bairro das salinas para a exploração da madeira, que servia para construções de casas, e como lenha para cozinhar os seus alimentos. Quanto à biodiversidade neste local, os voluntários dizem não existir a presença de aves migratórias, mas foi possível observar uma quantidade enorme de crustáceos, moluscos, onde os pescadores locais continuam a exercer a sua pesca nos mangais de forma muito sustentável.

 

Já no mangais do Distrito dos Ramiros, do Km44, a plantação das sementes de mangues plantadas no período de Janeiro à Fevereiro que cobriram uma área total de 44 hectares continuam a crescer de forma impressionante. Quanto a Biodiversidade neste local, os voluntários encontraram muita quantidade de aves migratórias diversas como pelicanos, flamingos, corvos marinhos etc.

 

Participaram da realização desta monitorização a fundadora do otchiva, Fernanda Renée, e os membros voluntários Anderson dos Santos e Sansão Tomás

 

 

 

 

Partilhar: