27.030 mangues plantados marca o início da campanha de reflorestação de 1 milhão de mangues em Angola

27.030 mangues plantados marca o início da campanha de reflorestação de 1 milhão de mangues em Angola

0 1

Mais de 27 mil mangues foram reflorestados na manhã de sábado de ontem, 24 de Abril, pelos voluntários Otchivas.

Sementes de mangues a serem contabilizadas pelos voluntários

A área escolhida para a reflorestação, foi a comunidade do Tapo, numas das zonas de mangue totalmente desflorestada, que segundo o Coordenador da comunidade, filipe Dala, que também participou da plantação de mangues com toda a comunidade local, explicou que tal facto aconteceu ja há décadas, devido ao corte das árvores de mangues pela população local na altura para cozinhar os seus alimentos por falta de gás ou outra alternativa. A referida comunidade está localizada no Distrito do Mussulo, Munícipio do talatona na Província de Luanda.

Local da reflorestação, Comunidade do Tapo, Mussulo.

Comunidade local na recolha das sementes de mangues

A campanha de reflorestação teve como objectivo saudar o dia da Terra e ao mesmo tempo, dar início a campanha de reflorestação de 1 milhão de mangais em Angola até Dezembro de 2021, um desafio do Governo de Angola, lançado pelo Vice Presidente da República de Angola, Bornito de Sousa

Voluntários das Embaxadas na lama dos mangais

Nina Maria Fite, Embaixadora dos Estados Unidos da América a reflorestar mangais

A referida reflorestação teve o apoio directo da Embaixada dos Estados da América, da Embaixada da Suécia, da Embaixada do Reino Unido e da Pumangol.

Voluntários Pumangol a plantar mangais

Ivanilson Machado, CEO da Pumangol dentro da lama a plantar mangues

Durante a reflorestação os voluntários tiveram o apoio das Forças Armadas Angolanas (FAA) e da Policia Nacional ( PNA) que estiverem envolvidos desde a recolha das sementes de mangues até a reflorestação.

Policia Nacional a plantar mangal

Forças Armadas Angolanas na contagem das sementes de mangues

No fim da campanha de reflorestação nos mangais, a Embaixadora dos Estados da América em Angola, Nina Maria Fite, Alertou sobre a importância de se proteger o Ambiente, lembrando a todos que não existe um segundo Planeta, o que significa que todos devem estar engajados na proteção deste único Planeta que temos. E foram com estas palavras que a Otchiva aproveitou sensibilizar todos sobre a urgência de nos reconciliarmos com a Mãe Natureza para o bem de todas as espécies existentes no planeta terra e pelas gerações vindouras.

Voluntários crianças das embaixadas na plantação de mangues

De realçar que a campanha de reflorestação de mangues, para além de Luanda, será implementada em todas as outras províncias da orla costeira de Angola, nomeadamente nas províncias de Cabinda, Zaire, Bengo, Kwanza Sul, Benguela, e Namibe e conta com o apoio de todos neste desafio inspirador para a defesa da orla costeira angolana.

Marcelino Pinto, consultor do Vice Presidente de Angola para área economica e social a plantar Mangues

A Importância dos Mangais


Os mangais são ecossistemas típicos de regiões tropicais e subtropicais, definidos como zonas de transição entre o ambiente marinho e o terrestre. Os mangais são formado por árvores e outras espécies arbustivas que são capazes de resistir ao fluxo marítimo e consequentemente, ao sal da água do mar.

Os mangais são a base de um ecossistema biologicamente diversificado, rico e produtivo. Por isso, são lar e local de alimentação de uma série de espécies, muitas das quais estão em extinção. Apesar disso, os manguezais representam menos de 1% de todas as florestas tropicais do mundo. Daí a importância de preservá-los, afinal, eles contribuem significativamente para o bem-estar das comunidades costeiras, sendo fonte de renda e de alimentos para milhares de pessoas.

Esses locais são de grande importância para a fauna aquática e abrigam enorme biodiversidade, com espécies que buscam esse ecossistema para se reproduzirem. Os mangais tê também relevância econômica, com atividades voltadas para a aquicultura, por exemplo.

Geralmente lamacento, o solo dos mangais é rico em matéria orgânica, o que permite a adaptação e o desenvolvimento de uma vegetação típica da região. Sua cobertura de costas e pântanos oferece a muitas espécies diversas de pássaros, mamíferos, crustáceos e peixes um habitat único e insubstituível. Além disso, os mangais preservam a qualidade da água e reduzem a poluição por filtragem de materiais em suspensão e assimilação de nutrientes dissolvidos.

Assista a reportagem da TPA sobre esta actividade AQUI

Partilhar:

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Precisas de ajuda?
Enviar via WhatsApp